Menu
2019-05-15T14:19:01+00:00
Transformações tecnológicas

Presidente do Banco Central defende importância do “open banking” para competitividade

Roberto Campos Neto defendeu que o sistema financeiro seja pensado no futuro com foco no papel da evolução tecnológica

15 de maio de 2019
14:19
Roberto-Campos-Neto - presidente do Banco Central
Líder do BC destacou que a Agenda BC+ da instituição foi reavaliada e ampliada - Imagem: Marcos Corrêa/PR

O Banco Central (BC) divulgou nesta quarta-feira, 15, os apontamentos do presidente da instituição, Roberto Campos Neto, que discursa na abertura do Workshop Open Banking, na sede da autoridade monetária. O evento é fechado à imprensa.

"Precisamos nos dedicar ao desenho do sistema financeiro de amanhã, tendo como foco o papel da evolução tecnológica", afirmou Campos Neto, segundo o documento.

"Para o sistema financeiro, essa mudança tecnológica significa: democratizar; digitalizar; desburocratizar; e desmonetizar", completou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Campos Neto destacou ainda que a Agenda BC+ da instituição foi reavaliada e ampliada, para promover a democratização financeira e reduzir a necessidade de financiamento do governo, abrindo assim espaço para o investimento privado.

"Considero essas premissas necessárias ao provimento dos recursos para o setor produtivo de forma ampla e em condições justas, gerando benefícios para todos os brasileiros", acrescentou.

O presidente do BC voltou a afirmar que pretende ter um "foco especial" no mercado de capitais e que trabalhará para eliminar distorções para melhorar a eficiência do mercado brasileiro. Ele citou novamente os quatro pilares de sua agenda: inclusão, competitividade, transparência e educação financeira.

Campos Neto destacou que o "Open Banking" será um instrumento importante para a competitividade no sistema financeiro.

Entre os fatores que impulsionam a tecnologia, ele elencou o uso mais intensivo e inteligente de dados granulares; a demanda da sociedade por um maior empoderamento das suas informações; e a entrada de novos players, como as fintechs, prestando serviços financeiros.

"Jurisdições como União Europeia (incluindo, o caso particular do Reino Unido), Hong Kong e Austrália, só para citar alguns exemplos, identificaram a necessidade de intervenção regulatória para tratar do assunto, de forma a assegurar o desenvolvimento do mercado e o alcance de seus objetivos, como promover a inovação e a eficiência, aumentar a competição e proteger o consumidor", lembrou o presidente.

O presidente do BC ressaltou ainda que o "Open Banking" está em linha com a edição da Lei de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), de forma que as instituições financeiras compartilharão as informações, desde que autorizadas pelos clientes.

"O Open Banking é inevitável e deve ser considerado pelas instituições como uma oportunidade e não como uma ameaça", avaliou Campos Neto.

"A experiência do cliente deve ser ágil e conveniente, mas, ao mesmo tempo, deve ser segura e confiável. A falta de confiança pode minar a usabilidade do modelo", alertou.

Campos Neto considerou ainda que o projeto de desenvolver o "Open Banking" no País é desafiador tanto para as instituições quanto para o próprio BC, mas deve ser visto como um fator relevante para se alcançar os objetivos de eficiência e inclusão.

"Para o efetivo desenvolvimento do Open Banking, todas as instituições precisam embarcar no projeto, das incumbentes às fintechs", concluiu.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Começando os trabalhos

Petrobras começa a negociar ATC 2019 e Eletrobras vai para 4ª reunião

Empresa estatal vai juntar os 18 sindicatos da categoria em um único encontro nesta quarta-feira, 22

Contrato assinado!

Valid anuncia que vai imprimir as provas do Enem 2019

Empresa ficará responsável pela diagramação, manuseio, embalagem, rotulagem e entrega aos Correios do caderno de provas

Novata no ar?

Anac deve aprovar autorização para Air Europa operar voos domésticos no país

Há expectativa de aprovação do processo incluído na pauta da reunião da direção do órgão marcada para 16h30 da quarta-feira

Corre-corre

Líder do governo no Senado anuncia acordo para votar 4 MPs até quinta-feira

Entre as pautas estão a abertura do setor aéreo para o capital estrangeiro, a ajuda financeira a Roraima, a criação da NAV Brasil e a reforma administrativa

Seu Dinheiro na sua noite

Um passeio pelas dunas do Ibovespa

Aos turistas que contratam um passeio de buggy nas dunas das praias nordestinas são dadas duas opções: com ou sem emoção. Já para quem investe na bolsa cabe apenas a segunda alternativa, e à bordo de uma velha Brasília. Na última descida, muita gente quase foi arremessada ou se jogou para fora do veículo em […]

Desconto de até 90%

Caixa fará mutirão para renegociar dívidas de 3 milhões de clientes

Expectativa da instituição é recuperar pelo menos R$ 1 bilhão em créditos que já estavam fora do balanço, lançados como prejuízo

Mudanças nos impostos

Com reforma tributária, poder de compra poderá crescer 10% em 15 anos, diz Appy

Projeto unifica três tributos federais (IPI, PIS e Cofins), o ICMS e o ISS num único tributo, batizado de Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS)

Tocando o projeto do Congresso

Presidente da CCJ da Câmara diz que não vai esperar proposta de reforma tributária do governo

Fala de Felipe Francischini ocorre na semana em que um texto apresentado pelo deputado Baleia Rossi pode ser votado na comissão

Sem movimento no mercado

Vendas baixas fazem estoques do varejo ficarem estáveis em maio, diz FecomercioSP

Estabilidade nos estoques sinaliza que as vendas estão abaixo do esperado e que houve pausa na reposição dos produtos

A pauta é reforma da Previdência

Mudanças no BPC podem aumentar desigualdade e judicialização, diz pesquisadora

Governo Bolsonaro sugere que o BPC, que hoje é pago aos beneficiários (idosos e deficientes em situação de extrema pobreza) com 65 anos, passe para 70 anos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements