Menu
2019-08-13T14:38:59+00:00
Sinal amarelo

No Twitter, economistas citam maior possibilidade de calote da dívida argentina

Os hermanos, com oito calotes na história, estão em destaque no mercado por ser o único país do continente que deu dois calotes desde o ano 2000

13 de agosto de 2019
14:37 - atualizado às 14:38
Argentina
Imagem: Shutterstock

O resultado das eleições primárias de domingo na Argentina, que deram ampla vitória à chapa composta por Alberto Fernández e a ex-presidente Cristina Kirchner sobre o atual mandatário do país, Maurício Macri, gerou grande preocupação entre os operadores e analistas do mercado financeiro por conta da perspectiva de que o provável novo governo possa incorrer em um possível novo calote da dívida.

Pelo Twitter, o operador Jeroen Blokland, da Robeco Asset Management, publicou um gráfico elaborado pelos economistas americanos Carmen Reinhart e Kenneth Rogoff, da Universidade de Harvard, identificando a quantidade de calotes que cada país já deu desde 1800. "Se você está procurando por calotes, Argentina (e o resto da América Latina) é o seu lugar", comentou.

O gráfico é liderado por Equador e Venezuela, com dez calotes cada, seguido por Uruguai, Costa Rica, Brasil e Chile, com nove.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A Argentina, com oito calotes na história, está destacada em vermelho por ser o único país do continente que deu dois calotes desde o ano 2000.

O economista-chefe da Allianz, Mohamed El-Erian, ressalta que enquanto a maior preocupação dos investidores é com a chance de um default, os movimentos do mercado observados ontem ilustram que também há problemas de liquidez no país.

"Também não há descanso para o peso argentino, que abriu hoje 8% mais fraco", comenta o economista. "Essa depreciação agrava as condições financeiras, mina o crescimento e alimenta a inflação, fazendo com que as eleições fiquem ainda mais incertas", analisa.

De acordo com o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) o Credit Default Swap (CDS) de cinco anos da Argentina, um seguro contra calote da dívida soberana e medida do risco-país, seguiu em alta nesta terça-feira e já embute probabilidade de 75% do default do país vizinho nos próximos cinco anos. Antes das primárias de domingo, essa possibilidade estava perto de 40%, de acordo com operadores.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Luz no fim do túnel?

Trump: ‘estamos indo muito bem com a China, e conversando’

Membros da equipe econômica norte-americana afirmam que negociadores das duas maiores economias do mundo irão conversar na próxima semana

Tem que adiar isso daí

Vitorioso nas prévias eleitorais argentinas, Fernández defende renegociação de acordo com o FMI

Alberto Fernández afirmou que o acordo para o pagamento de dívidas junto ao Fundo Monetário Internacional é “impossível de cumprir”

Opinião polêmica

Senadora Simone Tebet: ‘Bolsonaro ainda não vestiu o terno de presidente’

Referindo-se ao presidente, senadora do MDB afirmou “jamais imaginei que pudéssemos chegar onde chegamos”

Na hora de prestar contas

Presidente do Senado briga na Justiça para manter sigilo de gastos parlamentares

Destinadas a cobrir despesas relativas ao exercício do mandato, as cotas variam entre R$ 30 mil e R$ 45 mil, a depender do Estado do congressista

Nem tão hermanos assim

Bolsonaro volta a falar sobre Argentina e diz que país está cada vez mais próximo da Venezuela

Presidente usou sua conta no Twitter para fazer novos comentários sobre o processo sucessório na Argentina

Seu Dinheiro no domingo

Liberais não fazem pacotes

Dentro de mais alguns dias conheceremos o Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre. O resultado será magro e há quem fale em recessão técnica. Na sequência veremos uma nova onda de críticas e demandas na linha: “o governo tem quem fazer alguma coisa! Tem que impulsionar a demanda! Esse BC está errado!”. Sinto desapontar […]

Trilhando caminhos

Jovens precisam ter resiliência e iniciativa, dizem executivos sobre ser um novo empresário

Executivos falam sobre os comportamentos que um jovem ingressante numa grande empresa deve ter para trilhar um caminho profissional de sucesso

Crise partidária

Pedro Simon, ex-governador do RS: ‘existe o risco de o MDB desaparecer’

Em entrevista ao Estadão, o filiado ao MDB desde 1965 diz que seu partido precisa fazer uma “profunda reflexão”

Barrado na embaixada?

Consultoria do Senado diz que indicação de Eduardo Bolsonaro configura nepotismo e senadores se articulam para rejeitar seu nome

Parecer foi embasado no entendimento da Súmula Vinculante nº 13, do Supremo Tribunal Federal, que trata sobre nepotismo

Analisando a situação dos hermanos

Crise Argentina, feitiço do tempo

Os grandes desafios econômicos de Maurício Macri também parecem reimpressões de velhos e bem conhecidos problemas argentinos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements