Menu
2019-09-10T18:56:48+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Gestoras

Gávea Investimentos mostra ceticismo com sucesso da agenda de reformas

Gestora do ex-BC Arminio Fraga avalia os casos de México, Índia, Indonésia e Argentina nos quais as reformas se mostraram insuficientes ou retumbantes fracassos

10 de setembro de 2019
18:56
Arminio Fraga
Ex-presidente do BC e fundador da Gávea Investimentos Arminio Fraga - Imagem: Eduardo Campos

A carta de gestão da Gávea Investimentos, do ex-presidente do Banco Central Arminio Fraga, conta a história de países emergentes que despertaram interesse pela chegada de governos com agendas reformistas, mas que não tiveram um final feliz.

Os casos analisados são do México, Índia, Indonésia e Argentina e, segundo a gestora, "nos quatro casos, as reformas se mostraram insuficientes face às expectativas, senão retumbantes fracassos". Assim, a experiência desses países ajuda a pensar sobre o encaminhamento das reformas no Brasil.

“Livrar-se das amarras do capitalismo de Estado e da ação dos grupos de interesse que ao longo de décadas se encrustaram no aparelho de governo, requer uma combinação de condições e circunstâncias muito rara.”

Conclusões:

  • quanto maior o peso da herança estatal mais difícil o sucesso da empreitada
  • com um Congresso fragmentando é difícil o presidente angariar apoio político para a agenda
  • a agenda requer continuado compromisso do governo
  • a agenda precisa ser abrangente porque uma ou duas peças que estiverem faltando podem botar tudo a perder

Fardo estatista

Segundo a gestora, os planos do governo tampão de Michel Temer e de Paulo Guedes trouxeram esperanças para um novo ciclo de reformas e desenvolvimento.

“Mas a nossa herança estatista é um fardo pesado e o apoio político a essa longa empreitada é duvidoso, até porque a nossa estrutura partidária é essencialmente amorfa e as bases do governo no Congresso são frágeis.”

Assim, diz a Gávea, o encaminhamento das reformas fica à mercê de circunstâncias e personagens, que são importantes, muito mais que de um movimento político forte e consistente.

“O presidente mostra-se titubeante com a agenda econômica, o que evidentemente é um aspecto que fragiliza o projeto. Já do ponto de vista programático, o Ministério da Economia tem uma agenda tão ambiciosa que, por vezes, torna-se difícil coordenar e sequenciar as iniciativas de forma coerente.”

Finalizando, a gestora afirma que “não se pode negar que tem havido relevante progresso, mas há de se considerar esses aspectos no encaminhamento das reformas à luz da recente experiência de outros países”.

Posição

O portfólio da casa se caracteriza por posições consistentes com um cenário de desaceleração global e “risk-off” (fuga de risco) associado à escalada protecionista dos EUA. A gestora está liquidamente vendida em bolsa, comprada em dólar e com estratégias a favor da queda dos juros globais. Porém, frente à heterogeneidade de histórias globais, há uma carteira diversificada com algumas posições compradas, em particular na Europa periférica e no Brasil.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Cálculos da Firjan

Reforma tributária pode gerar 300 mil vagas por ano

Cálculos efetuados pela Firjan também mostram que a reforma nos impostos do país pode incrementar o consumo em até R$ 122,7 bilhões

De volta à velha política

Governo se rende às indicações políticas para aumentar base

Presidente foi convencido por ministros da área política de que premiar partidos leais a suas propostas seria a única forma de aprovar reformas

Grandes planos

“Vamos lançar nosso banco digital em mil lojas antes da Black Friday”, diz CEO da Via Varejo

Roberto Fulcherberguer tem trabalhado para que o sistema de vendas pela web esteja tinindo para a próxima Black Friday

Passou!

Centauro aprova plano de outorga para opção de compra de ações neste ano

Plano prevê que a quantidade máxima de ações vinculadas será de 7.943.848

Seu Dinheiro no domingo

Quanto rendeu o Seu Dinheiro em um ano?

Você sabe quanto o Seu Dinheiro rendeu em um ano? Não estou falando aqui do montante que você tem aplicado no banco. Mas do Seu Dinheiro mesmo, esse projeto independente de jornalismo e educação financeira que eu coordeno junto com a Olivia Alonso e que tem um time de feras como o Vinícius Pinheiro, o […]

Olhe e copie

5 coisas inteligentes que pessoas com consultores financeiros fazem com o próprio dinheiro que lhes dão uma vantagem

Nem todos querem ou podem pagar um planejador financeiro próprio. Mas que tal dar uma espiada no que eles andam aconselhando?

Enquanto isso, na Assembleia da ONU...

Promessa de ‘afagos’ teria convencido Bolsonaro a aceitar jantar com Trump

No pacote de gestos, a expectativa de auxiliares do Planalto é que Bolsonaro sente-se próximo de Trump

Poucos amigos

Major Olímpio diz que há estratégia no Congresso para desgastar Bolsonaro

Senador afirmou que parlamentares “votam projetos absurdos e depois jogam no colo do presidente a questão de vetar ou não esses dispositivos”

Série: os mais ricos do Brasil

Abilio Diniz: um bilionário bom de briga

Ele transformou a pequena doceria do pai na maior rede varejista do país e aos 82 anos continua na ativa

Papo de poder

Maia conversa com Bolsonaro sobre pauta de votações da Câmara para próxima semana

Entre os itens da pauta está o projeto de lei que trata do registro, posse e comercialização de armas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements