Menu
2019-07-15T15:42:15+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
320% do PIB

Dívida global sobe a US$ 246 trilhões e endividamento de emergentes bate recorde

Instituto Internacional de Finanças (IIF) mostra que quanto menor o juro, maior o endividamento mundial, que está para bater o recorde visto no começo de 2018

15 de julho de 2019
15:42
Ratoeira da dívida
Imagem: Shutterstock

Impulsionado pela queda nas taxas de juros, a dívida global subiu em US$ 3 trilhões no primeiro trimestre do ano, atingindo US$ 246 trilhões, ou 320% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial. Tal montante está apenas US$ 2 trilhões abaixo da máxima histórica registrada no primeiro trimestre de 2018.

Os dados são do Instituto Internacional de Finanças (IIF), que também captaram elevação no endividamento das economias emergentes para a linha recorde de US$ 69 trilhões, ou 216 do Produto Interno Bruto (PIB).

dívida global

O cenário sugere que o endividamento continuará aumentando, já que as condições financeiras são favoráveis a isso em âmbito mundial. Por outro lado, cresce a preocupação sobre como carregar essa montanha de dívida. No lado corporativo, menores perspectivas de crescimento elevam o risco para as empresas muito alavancadas.

Para as economias emergentes, a preocupação é com as dívidas de curto prazo e o efeito que flutuações no apetite ao risco pode ter sobre os cerca de US$ 3 trilhões em títulos que vão vencer até o fim de 2020.

Estados Unidos

A dívida total dos EUA subiu em US$ 2,9 trilhões desde o primeiro trimestre de 2018, atingindo novo recorde a US$ 69 trilhões. Sem surpresa, diz o IIF, a dívida do governo, de 101% do PIB foi o principal driver desse movimento.

Para o IIF, mesmo com os juros caindo o custo de carregamento não terá grande alívio. A simulação de um corte de 1 ponto percentual no custo do endividamento mostra queda de US$ 20 bilhões a US$ 25 bilhões sobre um gasto anualizado de mais de US$ 830 bilhões com encargos da dívida.

No setor corporativo, a avaliação do IIF é de “luz amarela”, já que a dívida das empresas não financeiras subiu a 75% do PIB. Segundo o IIF, embora a redução no custo do dinheiro dê um alívio às empresas endividadas, esse quadro não teve ter grande impacto sobre a confiança empresarial, em função das preocupações com a guerra comercial e menor crescimento econômico.

China

Na China, diz o IIF, com a dívida total (governo, empresas e famílias) se aproximando de 310% do PIB, ou algo como US$ 40 trilhões, a desalavancagem continua sendo uma preocupação do governo. Neste começo de ano, apesar da redução n endividamento das empresas, a tomada de dívida por outros segmentos seguiu firme, sugerindo maior atuação de governo regionais e bancos no mercado.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Brasil

Quando saiu o relatório fechado sobre o endividamento em 2018, centramos atenção na dívida pública brasileira em comparação com outros pares e o cenário continua o mesmo.

A dívida pública do Brasil, na métrica da IIF, é de 87,6% no primeiro trimestre, contra 84,6% no primeiro trimestre do ano passado. Dívidas maiores apenas com Singapura (112,6%), Egito 915) e Líbano (152,7%). A média dos emergentes é de 50,5% do PIB.

Ainda sobre o Brasil, o IIF mostra que a dívida das famílias equivale a 27,8% do PIB, contra a média emergente de 38,8%. Já a dívida das empresas é pequena se comparada aos pares, totalizando 41,6% do PIB, contra 92,6% do PIB dos emergentes. Já a dívida do setor financeiro se mostra um pouco acima dos demais, ficando em 38,5% do PIB, ante 34,5% da média.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Luz no fim do túnel?

Trump: ‘estamos indo muito bem com a China, e conversando’

Membros da equipe econômica norte-americana afirmam que negociadores das duas maiores economias do mundo irão conversar na próxima semana

Tem que adiar isso daí

Vitorioso nas prévias eleitorais argentinas, Fernández defende renegociação de acordo com o FMI

Alberto Fernández afirmou que o acordo para o pagamento de dívidas junto ao Fundo Monetário Internacional é “impossível de cumprir”

Opinião polêmica

Senadora Simone Tebet: ‘Bolsonaro ainda não vestiu o terno de presidente’

Referindo-se ao presidente, senadora do MDB afirmou “jamais imaginei que pudéssemos chegar onde chegamos”

Na hora de prestar contas

Presidente do Senado briga na Justiça para manter sigilo de gastos parlamentares

Destinadas a cobrir despesas relativas ao exercício do mandato, as cotas variam entre R$ 30 mil e R$ 45 mil, a depender do Estado do congressista

Nem tão hermanos assim

Bolsonaro volta a falar sobre Argentina e diz que país está cada vez mais próximo da Venezuela

Presidente usou sua conta no Twitter para fazer novos comentários sobre o processo sucessório na Argentina

Seu Dinheiro no domingo

Liberais não fazem pacotes

Dentro de mais alguns dias conheceremos o Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre. O resultado será magro e há quem fale em recessão técnica. Na sequência veremos uma nova onda de críticas e demandas na linha: “o governo tem quem fazer alguma coisa! Tem que impulsionar a demanda! Esse BC está errado!”. Sinto desapontar […]

Trilhando caminhos

Jovens precisam ter resiliência e iniciativa, dizem executivos sobre ser um novo empresário

Executivos falam sobre os comportamentos que um jovem ingressante numa grande empresa deve ter para trilhar um caminho profissional de sucesso

Crise partidária

Pedro Simon, ex-governador do RS: ‘existe o risco de o MDB desaparecer’

Em entrevista ao Estadão, o filiado ao MDB desde 1965 diz que seu partido precisa fazer uma “profunda reflexão”

Barrado na embaixada?

Consultoria do Senado diz que indicação de Eduardo Bolsonaro configura nepotismo e senadores se articulam para rejeitar seu nome

Parecer foi embasado no entendimento da Súmula Vinculante nº 13, do Supremo Tribunal Federal, que trata sobre nepotismo

Analisando a situação dos hermanos

Crise Argentina, feitiço do tempo

Os grandes desafios econômicos de Maurício Macri também parecem reimpressões de velhos e bem conhecidos problemas argentinos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements