A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2022-07-03T11:53:44-03:00
Estadão Conteúdo
Disputa pelos ares

China compra cerca de 300 aviões da Airbus, em novo golpe à rival Boeing

A Boeing citou repetidamente a China como essencial para seus planos de crescimento da produção, mas perdeu para a rival Airbus na encomenda mais recente do gigante asiático

3 de julho de 2022
11:45 - atualizado às 11:53
Airbus
A Airbus vendeu 292 aeronaves para as companhias aéreas chinesas, negócio avaliado em US$ 37 bilhões. - Imagem: Airbus

A China fez uma grande encomenda em nome de três de suas maiores companhias aéreas para cerca de 300 jatos da Airbus, a primeiro grande compra de novos aviões do país desde antes da pandemia.

Pequim, que normalmente compra aeronaves para suas aéreas, era um dos maiores e mais importantes compradores de jatos antes da pandemia. A Boeing citou repetidamente a China como essencial para seus próprios planos de crescimento de produção.

A empresa americana, contudo, perdeu para a rival Airbus na encomenda divulgada nesta sexta-feira, embora isso não impeça um acordo futuro.

A China Southern Airlines - a maior cliente do problemático 737 MAX da Boeing na China - estava entre as três companhias aéreas a comprar jatos Airbus.

China Southern, Air China e China Eastern Airlines devem receber um total de 292 novas aeronaves a partir de 2023, disseram as empresas em comunicados separados.

Juntos, os negócios são avaliados em US$ 37 bilhões antes dos descontos habituais concedidos às companhias aéreas, de acordo com as declarações.

Viagens aéreas na China têm tido desempenho inferior ao resto do mundo

Quando a covid-19 surgiu pela primeira vez na China, as companhias aéreas do país estavam entre as primeiras a cancelar voos, iniciando o que se tornaria uma hibernação global para viagens aéreas.

As companhias aéreas de todo o mundo pararam de comprar novos aviões, e a Airbus e a Boeing reduziram a produção. Mas o fim das restrições em grande parte do mundo desencadeou novamente a crescente demanda por viagens - e por novos jatos.

As viagens aéreas na China, no entanto, têm tido desempenho inferior ao do restante do mundo. Após uma rápida retomada dos voos domésticos, a demanda caiu novamente, enquanto o país luta contra os surtos de covid-19.

Em maio, com o lockdown de Xangai, as vendas domésticas de passagens caíram 77% em relação ao ano anterior.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) sente pressão do Fed e recua na semana, enquanto ethereum (ETH) sustenta alta impulsionada pela “The Merge”; entenda

18 de agosto de 2022 - 20:25

O ethereum (ETH) vence a letargia do mercado hoje ainda impulsionado pela The Merge, atualização que, segundo analista, foi enfim “descoberta” pelo mercado

ELEIÇÕES 2022

Bolsonaro aparece no retrovisor de Lula, mas petista ainda pode levar no primeiro turno, segundo Datafolha

18 de agosto de 2022 - 20:00

Essa é a primeira pesquisa de intenção de voto divulgada após o início oficial da campanha presidencial, que começou há dois dias

REBATEU FAKE NEWS

“Estou meio acostumada a tomar paulada”: Luiza Trajano fala sobre política, empreendedorismo e os desafios do Magalu (MGLU3)

18 de agosto de 2022 - 19:13

A empresária rebateu alguns dos principais boatos que envolvem o seu nome e comentou as perspectivas do varejo no TAG Summit 2022

MAIS UM PASSO

Unindo os jalecos: acionistas do Fleury (FLRY3) e Hermes Pardini (PARD3) aprovam a fusão entre as companhias

18 de agosto de 2022 - 19:12

Os acionistas de Fleury (FLRY3) e Hermes Pardini (PARD3) deram aval para a junção dos negócios das companhias; veja os detalhes

o melhor do seu dinheiro

Ibovespa faz o dever de casa, o futuro das petroleiras e quem vai ficar com Congonhas; confira os destaques do dia

18 de agosto de 2022 - 18:40

Passado o grande evento da semana — a divulgação de ontem (17) da ata da última reunião do Federal Reserve — os investidores tiveram pouco com o que trabalhar nesta quinta-feira (18), levando as bolsas globais a mais um dia de muita volatilidade.  A cautela inicial em Nova York e a subida dos juros futuros […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies