Menu
2021-04-20T16:57:04-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
A maior desde 1994

Com recorde na arrecadação em março, Paulo Guedes fala em recuperação econômica

Os R$ 137,9 bilhões arrecadados no mês animaram o ministro e o levaram a afirmar que o país “se levantou”

20 de abril de 2021
16:56 - atualizado às 16:57
Paulo Guedes, ministro da Economia
Imagem: Anderson Riedel/PR

A arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 137,9 bilhões em março, um aumento real (descontada a inflação) de 18,49% na comparação com o mesmo mês de 2020.

O resultado do mês e do primeiro trimestre, de R$ 445,9 bilhões, representa o melhor desempenho para os dois períodos já registrados na série histórica da Receita Federal, iniciada em 1994.

Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, o nível de arrecadação confirma a recuperação econômica. “Isso mostra que realmente o Brasil se levantou. Foi derrubado pela pandemia, mas se levantou em V", afirma.

Bem acima das projeções

Além de animar o ministro, o número superou todas as expectativas na pesquisa do Broadcast Projeções, cujo intervalo ia de R$ 109,85 bilhões a R$ 128,86 bilhões, com mediana de R$ 122,40 bilhões.

Para Guedes, que comparou a pandemia com um “tsunami” nas finanças, o resultado também demonstra a capacidade de adaptação das empresas brasileiras. "As companhias listadas na Bolsa estão registrando aumento de receita, redução de custo e aumento de lucros", acrescentou.

Ainda durante seu comentário, o ministro voltou a aceleração da vacinação em massa no país para a aceleração da retomada: "A melhor política fiscal é vacina, vacina, vacina, porque temos que garantir o retorno seguro ao trabalho", repetiu.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Seu Dinheiro na sua noite

O grande respiro do câmbio e mais…

“Ih, vai ser uma semana daquelas”, pensei eu na segunda-feira, ao olhar a agenda de eventos previstos para os dias seguintes. Teríamos decisão do Copom e relatório de empregos nos EUA — e isso sem contar os inúmeros balanços corporativos. Em semanas assim, eu gosto de traçar alguns cenários na minha cabeça: se o BC […]

Fechamento da semana

Real ganha do dólar na semana e bolsa sobe mais de 2% com economia americana nem tão aquecida e Copom incisivo

Os problemas domésticos foram para baixo do tapete e os fatores externos ajudaram o Real a se valorizar e a bolsa a romper resistências importantes. Confira um resumo da semana.

Mudou de ideia?

Elon Musk passa a recomendar cautela com o dogecoin às vésperas de sua participação no SNL

O bilionário, que já fez a moeda-meme disparar 60% com apenas um tweet, exibiu um alerta para as limitações do mercado de criptoativos

pandemia

Estudo aponta relação entre negacionismo de Bolsonaro e evolução da pandemia no Brasil

Segundo o levantamento, em cidades onde o presidente obteve mais de 50% dos votos no segundo turno das eleições de 2018, número de mortes foi 415% maior do que nos municípios onde ele perdeu o pleito

Insistência incomoda

Ex-presidente do BC Affonso Pastore acredita que ajuste parcial da Selic é insustentável

O economista defende o reconhecimento explícito de que a instituição perseguirá o ajuste integral da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies