Menu
2021-04-20T13:47:23-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Organização ou cartel?

Petróleo recua após comitê dos EUA aprovar projeto que pode implicar Opep em lei antitruste

A organização foi acusada de realizar um “conluio” entre seus membros para fixar o preço da commodity

20 de abril de 2021
13:47
Petróleo Opep
Imagem: Shutterstock

O Comitê Judiciário da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou, nesta terça-feira (20), um projeto de lei que pode implicar os integrantes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) na legislação antitruste americana. 

A lei antitruste é um conjunto de normas do país comumente aplicadas na regulação da conduta e organização de empresas corporativas. Seu objetivo é evitar a formação de cartéis e promover uma concorrência leal. 

A liderança democrata da Casa, contudo, não forneceu previsão sobre quando a pauta será submetida ao plenário e os preços do petróleo reagiam negativamente à notícia. 

Por volta das 13h30, o contrato WTI, negociado nos Estados Unidos, recuava 1,43%, a US$ 62,52 o barril. O do tipo Brent, negociado em Londres, também caía 0,92%, a US$ 66,43.

O que dizem os parlamentares

Para o presidente da comissão, Jerrold Nadler, a Opep é um cartel e viola as regras por seus membros realizarem um "conluio" para fixar os preços da commodity energética e acrescentou que tal comportamento seria considerado ilegal se partisse do setor privado. 

"O esforço para impulsionar os preços impactam diretamente consumidores americanos porque o preço de petróleo é o maior determinante dos preços de gasolina no varejo", explicou. 

Nadler ressaltou ainda que a matéria é proposta em parceria com o deputado republicano Steve Chabot, sugerindo que há apoio bipartidário ao tema. 

Segundo ele, o objetivo é "tornar ilegal que qualquer país estrangeiro aja coletivamente com outros para limitar a produção, fixar preços ou restringir o comércio de petróleo, gás natural ou demais produtos derivados de petróleo", disse.

Pandemia reforçou a atividade da organização

A atuação da Opep no mercado ficou em evidência no ano passado, quando o grupo se juntou a aliados para firmar cortes na oferta e estabilizar as cotações do ativo energético em meio ao impacto da pandemia de coronavírus na demanda.

Vale lembrar que, há exatamente um ano, o preço do petróleo chegou a cair abaixo de zero, algo inédito na história da commodity. 

Pouco depois das 15h, horário de Brasília, do dia 20 de abril de 2020 ele passou a ser negociado a preços negativos, fechando o pregão em US$ -37,63 o barril, uma queda de mais de 300%.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Seu Dinheiro na sua noite

O grande respiro do câmbio e mais…

“Ih, vai ser uma semana daquelas”, pensei eu na segunda-feira, ao olhar a agenda de eventos previstos para os dias seguintes. Teríamos decisão do Copom e relatório de empregos nos EUA — e isso sem contar os inúmeros balanços corporativos. Em semanas assim, eu gosto de traçar alguns cenários na minha cabeça: se o BC […]

Fechamento da semana

Real ganha do dólar na semana e bolsa sobe mais de 2% com economia americana nem tão aquecida e Copom incisivo

Os problemas domésticos foram para baixo do tapete e os fatores externos ajudaram o Real a se valorizar e a bolsa a romper resistências importantes. Confira um resumo da semana.

Mudou de ideia?

Elon Musk passa a recomendar cautela com o dogecoin às vésperas de sua participação no SNL

O bilionário, que já fez a moeda-meme disparar 60% com apenas um tweet, exibiu um alerta para as limitações do mercado de criptoativos

pandemia

Estudo aponta relação entre negacionismo de Bolsonaro e evolução da pandemia no Brasil

Segundo o levantamento, em cidades onde o presidente obteve mais de 50% dos votos no segundo turno das eleições de 2018, número de mortes foi 415% maior do que nos municípios onde ele perdeu o pleito

Insistência incomoda

Ex-presidente do BC Affonso Pastore acredita que ajuste parcial da Selic é insustentável

O economista defende o reconhecimento explícito de que a instituição perseguirá o ajuste integral da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies