Insights de investimento, análises de mercado e muito mais! Siga o Seu Dinheiro no Instagram

2021-06-03T22:57:38-03:00
Renato Carvalho
Ensino na era digital

Ser Educacional anuncia compra da FAEL e tenta impulsionar rentabilidade

Negócio representa maior diversificação geográfica e aumento na base digital, mas melhorar as margens será um desafio, segundo analistas

31 de maio de 2021
11:30 - atualizado às 22:57
estudantes com computador em foto vista de cima
Imagem: Shutterstock

O setor de educação passa por um momento de transição, com a combinação recente de diminuição do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), crescimento do ensino à distância (EAD) e os efeitos da pandemia.

Com tudo isso, as empresas têm procurado estratégias para manter ou aumentar sua base de alunos, e ao mesmo tempo serem mais lucrativas. Esta parece ser a ideia da Ser Educacional ao anunciar a compra da Faculdade Educacional da Lapa (FAEL).

A Ser pagará inicialmente R$ 280 milhões por 100% da FAEL. A depender do desempenho futuro, serão pagos mais R$ 17,5 milhões. 

Luiz Carlos Borges da Silveira Filho, que hoje comanda a instituição adquirida pela Ser, fica pelo menos mais dois anos à frente da operação, segundo o contrato celebrado entre as duas partes.

Este item do acordo mostra como a aquisição é um caminho novo que a Ser tenta tomar. A companhia tem atuação mais forte na região Nordeste, e agora compra uma faculdade com sede na cidade de Lapa, no Paraná, que tem a maior parte dos seus alunos em cidades do Sul com menos de 100 mil habitantes.

Outro ponto importante é que a FAEL é 100% digital. A margem Ebitda Ajustada da Ser no ensino digital ficou em 24% entre janeiro e março, ante 21,3% na modalidade híbrida, que tem a presença do aluno em sala de aula pelo menos algumas vezes por semana.

Entre janeiro e abril deste ano, a captação de alunos no ensino digital mais que triplicou em relação a 2020, enquanto nos cursos presenciais caiu mais de 11%. Somente de janeiro a março, a base de alunos em cursos digitais cresceu 72,5%.

Mesmo com a crise provocada pela pandemia de covid-19, a FAEL teve crescimento de 12% na receita e de 124% no Ebitda ajustado em 2020.

Segundo os cálculos dos analistas da XP, a margem Ebitda da FAEL em 2020 foi de 13%. Mas com as sinergias, que podem atingir aproximadamente R$ 16 milhões, esse índice sobe para 23%.

A ressalva feita pela XP é que, na comparação com outros concorrentes, a margem da FAEL é baixa. Eles listam a Yduqs, com 50% no ensino digital, e a Vitro, que mesmo com um modelo híbrido, tem margens de 28%.

“Este movimento ousado de estar mais exposto ao ensino à distância é positivo. No entanto, estamos cautelosos sobre a capacidade da Ser de melhorar as margens da FAEL ainda além das sinergias especuladas”, diz a XP.

Para isso, seria necessário elevar o ticket médio e reduzir custos, algo difícil no contexto atual, segundo os analistas. Assim, a XP manteve a recomendação Neutra para a Ser.

Com a aquisição, a Ser passa a contar com mais de mil polos de EAD, já que a FAEL conta hoje com uma rede de mais de 600, e adiciona cerca de 90 mil alunos à sua base de graduação e pós-graduação. Em março, a base da Ser contava com 218 mil estudantes.

No comunicado sobre a transação, a Ser revela estar de olho também nos cursos oferecidos pela FAEL que apresentam maior ticket médio, principalmente nas áreas de saúde e engenharia.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

combustão

Nubank volta a despencar, renova mínima histórica e já vale 1/3 do Itaú

Valor de mercado do Nubank cai para US$ 15,4 bilhões, ou seja, menos de um terço do Itaú Unibanco, que hoje vale US$ 48,8 bilhões

FECHAMENTO DO CÂMBIO

Dólar interrompe sequência, avança 0,14% e vale R$ 4,81. Euro vale R$ 5,16; confira o que movimentou o câmbio nesta terça-feira

O Fórum Econômico Mundial, que conta com a presença de diversos líderes, segue chamando a atenção de investidores pelo mundo

FECHAMENTO DO DIA

S&P 500 é levado por onda de choque provocada pela Snap — Dow Jones é o único que se salva; entenda o que houve

As bolsas na Europa também mergulharam em um mar de perdas nesta terça-feira (24), com o setor de varejo e viagens liderando as baixas do dia

O AGRO É POP

BB DTVM lança o AGRI11, primeiro ETF que segue o novo índice do agronegócio na B3

Na estreia, os papéis AGRI11 operam em alta; o ETF é o segundo fundo voltado ao agronegócio que a gestora do Banco do Brasil lança neste ano

QUE CONFUSÃO

Fundação responsável pela Terra (LUNA) esclarece que rede não passará por divisão esperada — e acredite: o preço da criptomoeda caiu ainda mais

A conta oficial informou que houve um mal entendido na comunicação com os usuários, mas as cotações foram penalizadas mesmo assim

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies