O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2021-06-08T17:06:25-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Ex-ministro da Fazenda

Inflação pode ir a 7% com risco de avanço de expectativas de 2022, diz Henrique Meirelles

O atual secretário de Fazenda de SP também destacou que o maior risco para a recuperação da economia brasileira é o fiscal

8 de junho de 2021
17:06
Inflação Henrique Meirelles
Imagem: Shutterstock

O ex-ministro da Fazenda do País e atual secretário de Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles, admitiu que o cenário de inflação alta pode se tornar permanente, embora o quadro atual resulte de desorganizações da cadeia produtiva em meio à pandemia de covid-19.

Ele destacou que a economia só voltou ao nível do fim de 2019 no primeiro trimestre de 2021 e o que desemprego está elevado, o que deveria indicar uma inflação mais baixa.

Em webinar da Câmara britânica de Comércio e Indústria no Brasil, Meirelles afirmou que o que mais preocupa não é a inflação oficial de 2021, embora esteja alta e possa chegar a 7,0%, mas o avanço das expectativas de 2022.

"O Banco Central vai ter que tomar atitudes firmes para ancorar expectativas de inflação. Tem que fazer o que for necessário. Mas essa ação tem que estar junto com uma mensagem fiscal forte do governo federal de que a situação está sob controle", defendeu Meirelles.

Risco fiscal

O secretário de Fazenda de São Paulo admitiu que a questão inflacionária é um risco para a recuperação da economia após a imunização da população contra a covid-19. "Não podemos perder controle de expectativas de inflação para ter uma retomada organizada."

Meirelles também disse que o maior risco é fiscal, depois dos gastos elevados em 2020 para amenizar os efeitos da pandemia de covid-19. Agora, além do avanço da agenda de reformas e de produtividade, o ex-ministro afirmou que é importante controlar as despesas públicas para crescer mais e melhor.

"É necessário seguir o teto de gastos e avançar em reformas. Seria uma tragédia sair de uma crise de saúde e entrar em uma crise fiscal."

Reforma tributária

E, falando nas reformas, o ex-ministro da Fazenda também afirmou que a situação da reforma tributária está "menos bem definida" após as mudanças na presidência do Congresso.

Ele lembrou que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) dissolveu a comissão especial do tema. O ex-ministro afirmou, no entanto, que o projeto continua andando, embora sem muita definição de como será dividido entre as casas parlamentares.

Também ressaltou que, além da reforma tributária, a reforma administrativa também é importante no âmbito federal, assim como uma agenda de modernização e de produtividade.

Por fim, o secretário citou as iniciativas do Banco Central, como o PIX e o open banking, e do Ministério da Infraestrutura, assim como medidas em São Paulo, dentre elas a concessão da estrada Piracicaba-Panorama, o maior contrato do País, e o plano de uma linha ferroviária para ligar São Paulo e Campinas.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

NOITE CRIPTO

Não durou muito: bitcoin (BTC) opera em queda e volta a ficar abaixo do nível de US$ 30 mil; veja a performance das outras criptomoedas

O peso da perda de confiança do mercado é um dos pontos que mais afastam o investidor do mercado de criptomoedas atualmente

DISTRIBUINDO MAIS DO QUE COMBUSTÍVEIS

Dividendos e JPC: Vibra Energia (VBBR3) anuncia o pagamento de R$ 131 milhões em proventos; confira prazos

Ao todo, a distribuidora de combustíveis já pagou R$ 663 milhões em dividendos e juros sobre capital próprio no exercício de 2021

CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CSNA3) vão recomprar até 164 milhões de ações; veja o que muda para os acionistas

As duas companhias aproveitam o momento descontado na B3 para encerrar os programas atuais e iniciar novas operações com duração de um ano

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Inflação derruba bolsas, Hapvida vai às compras e a varejista que ameaça o Magalu; confira os destaques do dia

Depois de um dia de animação, preocupações com o movimento dos preços e a atividade econômica pelo mundo estragaram o humor dos investidores

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana come margem de grandes empresas e derruba bolsas globais; Ibovespa cai mais de 2% e dólar cola em R$ 5

Com inflação pressionando e China voltando a fechar cidades, o Ibovespa caiu menos que as bolsas em Wall Street, mas ainda assim amargou fortes perdas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies