2021-11-22T13:34:03-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Ações para ficar de olho

Cogna (COGN3), Yduqs (YDUQ3), Ser (SEER3) ou Ânima (ANIM3)? Qual a melhor ação para a sua carteira passar de ano?

O setor de educação foi afetado pela Covid. Veja algumas ideias de investimento em Cogna (COGN3), Yduqs (YDUQ3), Ser (SEER3) e Ânima (ANIM3)

2 de outubro de 2021
7:49 - atualizado às 13:34

O setor de educação tem quatro grandes players na bolsa: Cogna (COGN3) e Yduqs (YDUQ3) são os mais tradicionais e de maior porte, enquanto Ser Educacional (SEER3) e Ânima (ANIM3) têm crescido e ganhado espaço. Considerando a complexidade desse segmento, pode ser difícil tomar uma decisão de investimento.

Por isso, eu trouxe no vídeo abaixo alguns fatores importantes a serem levados em conta por quem pensa em comprar essas ações:

Esse é um setor que está em constante evolução — e que apresenta teses de investimento que mudam em horizontes relativamente curtos. Há não muito tempo, o Fies era o motor por trás das empresas do setor de educação; depois, com o programa de financiamento estudantil perdendo fôlego, a educação a distância (EAD) ganhou o protagonismo.

Com a pandemia, imaginava-se que os grupos que já estavam fortes no EAD e ofereciam cursos com mensalidades baixas seriam os grandes vencedores. No entanto, o que se verificou foi o contrário: tais graduações sofreram com um nível alto de evasão de alunos — o cenário de dificuldade econômica colocou os estudos em segundo plano.

Sendo assim, uma nova tese de investimentos emergiu — e mexeu com o equilíbrio de forças entre Cogna, Yduqs, Ser e Ânima.

Ânima (ANIM3) e Ser (SEER3): educação híbrida e cursos de Medicina

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Ainda em 2020, percebeu-se que um fator fundamental para as empresas educacionais é a percepção de valor que os alunos têm dos cursos. Graduações baratas e com tecnologia de EAD deficitária eram abandonadas sem grande hesitação; por outro lado, cursos um pouco mais caros, mas com uma qualidade maior, conseguiam reter os estudantes.

Nesse contexto, uma nova avenida de crescimento começou a ser explorada: a dos cursos de Medicina e saúde. Tais graduações têm mensalidades elevadas — muitas vezes, superiores a R$ 10 mil — e um prazo mais alongado, de cinco ou seis anos. Exigem mais investimento por parte das empresas, mas também têm um nível de evasão baixíssimo.

Ânima (ANIM3) e Ser (SEER3) são duas que têm apostado forte nessa via, comprando faculdades e universidades que tenham cadeiras de Medicina. Assim, por mais que tenham ficado para trás na corrida do EAD, elas agora saem na frente nessa tese.

As duas também têm trilhado um caminho de educação híbrida, mesclando aulas presenciais e digitais — o que eleva o ticket médio e aumenta a percepção de valor por parte dos alunos.

No fim, tudo é uma questão de ticket: quanto mais vagas de EAD barato, menor ele será; quanto mais vagas de Medicina, maior será a mensalidade média.

Cogna (COGN3) e Yduqs (YDUQ3): a força das grandes

Isso não quer dizer que Cogna (COGN3) e Yduqs (YDUQ3) sejam carta fora do baralho. Elas também estão apostando na elevação do ticket, seja via aperfeiçoamento das tecnologias, seja via expansão dos cursos de Medicina. A questão é que elas têm uma base de alunos de EAD muito grande — um legado que afeta seus resultados hoje.

Apesar disso, as duas têm uma base de alunos bastante extensa e possuem uma capacidade financeira mais elevada, podendo fazer aquisições que a ajudem nessa transição.

Dito tudo isso, qual das ações das educacionais é melhor? Essa é uma resposta difícil — e a análise de algumas métricas de valuation, como o EV/Ebitda, ajuda na tomada de decisão. No vídeo, eu comparo os indicadores das quatro ações e dou outras dicas sobre a tese de investimento no setor:

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Fraqueza nos números

Entrega de veículos da Tesla (TSLA34) recua no segundo trimestre e vem abaixo da expectativa do mercado

Apesar do crescimento das vendas na comparação anual, houve uma queda em relação ao trimestre anterior

Mais uma vítima

Após tomar calote do 3AC, exchange Voyager Digital suspende saques, depósitos e negociações de clientes

Corretora de criptomoedas tomou calote de mais de US$ 670 milhões, mas, apesar de ter tomado empréstimos, precisou paralisar atividades

Bancões na área

Vão sobrar uns cinco ou dez bancos digitais, e o Next está entre eles, diz CEO do banco digital do Bradesco

Renato Ejnisman diz ainda que Next visa a mais aquisições e pensa ainda em internacionalização

No vermelho

Magazine Luiza (MGLU3) é a ação com o pior desempenho do Ibovespa no primeiro semestre de 2022; outras varejistas e techs também sofreram no período

Com queda acumulada de quase 70% no ano, ações do Magalu são as piores do Ibovespa no semestre que acaba de terminar

Proteção

Qual título público comprar no Tesouro Direto? Santander recomenda papel indexado à inflação para o mês de julho; veja qual

Recomendação do banco para o Tesouro Direto visa proteção contra a inflação e possibilidade de valorização