O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2021-10-25T18:57:29-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Me vê bitcoin

De olho no interesse dos clientes por bitcoin (BTC), Mastercard vai lançar plataforma que une criptomoedas com cartões de débito e crédito

Com essa integração, o cliente pode receber cashback em criptomoedas após compras no cartão de crédito, por exemplo

25 de outubro de 2021
12:46 - atualizado às 18:57
Cartão da mastercard com um bitcoin na frente
A Mastercard deve anunciar em breve a nova facilidade que une cartão de crédito, débito e wallet de criptomoedas - Imagem: Shutterstock

O uso das criptomoedas como forma efetiva de pagamento parece cada vez mais próximo. Depois que a Visa anunciou parcerias com exchanges para oferecer produtos em criptomoedas para os seus clientes, agora foi a vez da Mastercard,  outra gigante do mercado de meios de pagamento, entrar de cabeça em ativos digitais. 

De acordo com informações da CNBC, a empresa deve anunciar em breve uma integração entre as carteiras de criptomoedas (wallets) e os sistemas dos milhares de bancos e instituições parceiras. Isso permitiria ao cliente manter e negociar criptomoedas dentro de uma mesma rede das contas de débito e cartão de crédito. 

Cashback em criptomoeda

Com essa integração, o cliente pode receber cashback em criptomoedas após compras no cartão de crédito, por exemplo, além de uma maior integração entre os programas de fidelidade de hotéis, companhias aéreas e restaurantes. Esse desconto em dinheiro também pode ser convertido em moedas digitais, de acordo com a reportagem. 

Em geral, as empresas de bandeiras de cartões não compram ou mantêm criptomoedas em caixa. Para isso, a Mastercard firmou uma parceria com a corretora de criptomoedas (exchange) Bakkt, que fará a parte de custódia desses ativos. 

"Nossos parceiros, sejam eles bancos, fintechs ou comerciantes, podem oferecer a facilidade de comprar, vender e manter criptomoedas por meio de uma integração com a plataforma Baktt", disse Sherri Haymond, vice-presidente executivo de parcerias digitais da Mastercard, em uma entrevista ao portal.

De olho na alta do BTC

Em julho deste ano, um relatório da Visa mostrou que os negócios com criptomoedas movimentaram cerca de US$ 1 bilhão nos primeiros meses do ano

O interesse em criptomoedas aumentou depois que o bitcoin (BTC) bateu novo recorde na última quarta-feira (20). Além disso, a aprovação dos primeiros fundos de índice (ETF, em inglês) nos Estados Unidos reacendeu o interesse por ativos digitais. 

Haymond vê que o mercado está perdendo uma oportunidade ao não integrar sistemas de pagamento tradicionais com o mundo das criptomoedas. Para a vice-presidente, a união desses dois mundos deve beneficiar principalmente o cliente, que deve perder cada vez menos dinheiro com as transações entre moeda digital e fiduciária. 

*Com informações da CNBC

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies