O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2021-09-14T18:52:39-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Entrevista exclusiva

Como a Visa pretende implementar o pagamento em criptomoedas no Brasil

A Visa conta mais detalhes sobre como o projeto de parceria com as exchanges será implementado

2 de setembro de 2021
6:29 - atualizado às 18:52
Foto de Eduardo Abreu, vice presidente de novos negócios da Visa, em entrevista sobre adoção do bitcoin
A ideia é aproximar ainda mais o mundo das criptomoedas da vida financeira diária das pessoas, diz Eduardo Abreu, vice-presidente de novos negócios da Visa Imagem: Divulgação

Chegaremos ao dia em que pagar nossas contas com bitcoin será tão trivial quanto usar o cartão de crédito ou o PIX? Se depender da gigante de meios de pagamento Visa, usar a criptomoeda para transações do dia a dia — e não apenas como reserva de valor ou investimento — em breve será uma realidade.

A empresa antecipou em primeira mão ao Seu Dinheiro a intenção de auxiliar corretoras a processarem pagamentos em criptomoedas no Brasil em uma entrevista em março. Agora, conta mais detalhes sobre como vai implementar essa estratégia.

Enquanto a corretora (exchange) fica com as transações em criptomoedas, a Visa cuida do dinheiro corrente (ou fiat), como dólar, real ou qualquer outro.

A adoção de criptomoedas não chega a ser algo tão novo para a companhia, que já opera com 180 moedas diferentes e possui mais de 70 milhões de estabelecimentos em todo o mundo. A ideia agora é levar a expertise em segurança para o mundo das criptomoedas, me disse Eduardo Abreu, vice-presidente de novos negócios da Visa no Brasil. 

A empresa está de olho em um mercado que movimentou US$ 1 bilhão no primeiro semestre, mas dá toda a pinta de que está apenas no começo.

“A grande vantagem da adoção do bitcoin é, sem dúvida, a facilidade”, afirma Abreu. “Sem precisar trocar uma moeda fiat [“fiduciária”, a moeda corrente do país], existe uma otimização das trocas na hora de usar bitcoin.” 

Bitcoin no cartão

A Visa trabalha com algumas corretoras de cripto (exchanges) e empresas para lançar um cartão conectado à conta. No Brasil, três nomes estão no projeto: Zro Bank, Alterbank e Rippio.

Mas o cartão ligado a uma exchange ainda é um pequeno passo. A ideia é aproximar ainda mais o mundo das criptomoedas da vida financeira diária das pessoas e conectar a conta nos bancos convencionais com a tecnologia em criptomoedas. Este conteúdo exclusivo também está disponível na nossa página no Instagram. Lá, você pode conferir as notícias que mexem diretamente com o seu patrimônio sem enrolação, em questão de segundos você estará a par de todas as notícias e análises que impactam o seu dinheiro. Clique no post abaixo e confira:

Abreu comenta que a Visa tem planos de desenvolver aplicações (APIs, no termo técnico) para unir os bancos tradicionais com os produtos criptográficos. Dessa forma, seria possível fazer investimentos em criptomoedas e ações, ETFs, entre outros, dentro de uma mesma plataforma. 

Blockchain entre empresas

Ainda em terras nacionais, a empresa está desenvolvendo um projeto com tecnologia de blockchain — a tecnologia que permitiu a criação do bitcoin. “É uma ideia de B2B [“business to business”] que permite pagamentos entre empresas com contratos em blockchain. Nós já temos clientes testando o piloto, que deve ter maiores novidades em breve”, afirma.

Dessa forma, empresas poderiam processar pagamentos corporativos internacionais e de alto valor com maior segurança.

Esses contratos via blockchain facilitam a transparência dos negócios, bem como a automação de assinaturas digitais. A tecnologia pode trazer maior agilidade e reduzir custos das empresas.

No cenário global, a Visa já adquiriu o CriptoPunks 7610, um dos NFTs mais populares do mundo. Sigla para “non-fungible token”, ou “token não fungível”, o NFT é uma tecnologia que está sendo usada para dar autenticidade a objetos digitais. Saiba como eles ganharam o mercado este ano

Cashback em critptomoedas

Um estudo recente mostrou que 60% dos norte-americanos têm interesse em fazer compras em bitcoin e criptomoedas. A pesquisa ainda mostrou que 59% das pessoas que têm ou já tiveram cripto usariam as moedas como meio de pagamento se houvesse alguma forma de desconto. 

De olho nesse potencial, a Visa já está com uma parceria forte com as exchanges para que elas possam oferecer um cashback em cripto. O Zro Bank, por exemplo, lançou em 2020 o primeiro cartão de débito com cashback retroativo em bitcoin.

A iniciativa divide opiniões dos especialistas. Se, por um lado, é uma forma de estimular o uso de criptoativos por quem ainda não conhece esse mercado, por outro, o cliente pode acabar recebendo algum shitcoin (“moedas porcaria”, em uma tradução mais educada). 

O executivo da Visa, contudo, está entre os que acreditam na iniciativa. “O brasileiro já têm a cultura de receber pontos do cartão, milhas, descontos, etc. Por que não receber criptomoedas com o cartão de crédito também?”. No vídeo abaixo, você confere uma lista com outras 6 criptomoedas que têm potencial para disparar em 2021. Clique no vídeo abaixo e confira:

Pagamentos em bitcoin

Diversos países já começaram a adotar criptomoedas como moedas oficiais ou desenvolver CDBCs, as Moedas Digitais de Banco Central, na tradução do inglês. É o caso de El Salvador, que passou a adotar o bitcoin como uma das moedas oficiais, junto com o dólar, e a China, com o yuan digital que já movimentou US$ 5 bilhões em transações

A adoção do bitcoin como uma “moeda internacional” ainda enfrenta alguns entraves, mas a Visa já se prepara para isso. Atualmente, as compras com cartões de criptomoedas fazem o seguinte caminho:

  • O bitcoin (ou outra criptomoeda) é convertido em moeda corrente;
  • A moeda vira um saldo na conta da corretora;
  • O usuário usa o saldo para pagar a conta.

Com a adoção do bitcoin como moeda, a transação seria direta. Ou seja, a conta é paga com uma redução direta no saldo de bitcoins. Isso torna o processo mais barato, rápido e seguro. 

E segurança é a palavra do momento. A Visa já gasta, por ano, aproximadamente US$ 25 bilhões em melhorias de segurança, segundo Abreu.

Abreu não revelou quando começa a testar os pagamentos em bitcoin no Brasil, mas em março o CEO da Visa no país, disse ao Seu Dinheiro que a expectativa era de implementar a novidade ainda em 2021.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies