Menu
2020-09-19T14:51:06-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
ranking da forbes

Varejo invade lista de mais ricos do Brasil; saiba mais sobre os bilionários

Luiza Trajano, Ilson Mateus e Luciano Hang chegam entre os 10 mais ricos do país, em um ano marcado por mudanças no setor varejista, alta das ações e IPOs

19 de setembro de 2020
14:45 - atualizado às 14:51
Luiza Trajano magazine luiza
A empresária Luiza Helena Trajano, presidente do conselho de administração do Magazine Luiza - Imagem: WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO

A lista dos bilionários brasileiros de 2020 divulgada pela Forbes tem, entre outras novidades, a forte presença de empresários do varejo. Entre os 10 primeiros, três são desse ramo: Luiza Trajano, Ilson Mateus e Luciano Hang.

Fazem parte ainda do ranking empresários dos setores financeiro, bebidas, investimentos e internet. Mas a mudança na composição da lista é em parte consequência das transformações que o varejo passou durante a pandemia.

De um lado, lojas foram obrigadas a vender de forma online; do outro, supermercados tiveram um aumento de demanda por alimentos, com grande parte da população em casa.

Bilionários, Luiza Trajano e Ilson Mateus estão nessas duas pontas. O patrimônio da executiva do Magazine Luiza cresceu 181% em um ano (ela ocupava a 24º posição do ranking), segundo a Forbes, em meio a uma disparada das ações da empresa.

A varejista era uma das mais preparadas para a demanda online - uma alta que empresários do setor já esperavam, mas a passos mais lentos.

Hoje queridinha dos investidores a trajetória do Magazine Luiza (e de Luiza Trajano) não é só de sucesso. Fundada em 1957 em Franca, interior de São Paulo, a pequena loja de presentes, chamada a princípio de A Cristaleira, quase foi à ruína no pós-crise de 2014.

As ações, que patinavam desde o IPO em maio de 2011 e não passavam de R$ 2, caíram para centavos. E o risco de ruptura avaliado pelo mercado levou investidores a jogarem os papéis da companhia no esquecimento.

No entanto, parcerias da varejista com a Cardif e o Itaú garantiram as operações. A empresa recuperou a confiança do mercado e de meros R$ 10 mil investidos em MGLU3 naquela época se transformaram, hoje, em cerca de R$ 3 milhões.

O valor de mercado saiu de R$ 180 milhões para R$ 145,7 bilhões. Há casas de análise que ainda apontam que a empresa pode se valorizar ainda mais.

No pós-ápice da pandemia, o Magazine Luiza chegou já anunciar aquisições, em busca de um domínio do ecossistema do varejo.

A bilionária Luiza Trajano, que já era uma referência do setor, aprofundou essa percepção do mercado e de clientes, ao defender a importância da preservação de empregos e da saúde pública.

"Não adianta abrir o comércio amanhã e as pessoas não irem às compras porque estão com medo. O que precisamos agora é de previsibilidade, saber o que vai acontecer depois do dia 4", disse a empresária ainda em abril.

Com a nova lista bilionários, a Luiza Trajano é a mulher mais rica do Brasil (patrimônio de R$ 24 bilhões) - ocupando o lugar de Miriam Voigt, da Weg.

Bilionário, antes garimpeiro

Se Luiza Trajano há cerca de uma década é figura conhecida do mercado de ações, o agora bilionário Ilson Mateus ganhou mesmo os holofotes no ano passado.

Foi em 2019 que começou a surgir as primeiras notícias no âmbito nacional sobre a intensão do controladores do Grupo Mateus de abrir o capital da empresa.

A pandemia atrasou os planos da companhia, mas em agosto o primeiro ponta-pé de entrada ao mercado financeiro foi dado: a empresa divulgou um prospecto preliminar, primeiro documento aos futuros investidores.

O embrião do Grupo Mateus surgiu em meados nos anos 1980, quando Ilson, à época um garimpeiro em Serra Pelada, em Curionópolis, no sudeste do Pará, ouviu de um conhecido sobre o município de Balsas, Maranhão - cidade que crescia impulsionada pela produção de soja.

Ilson contou em mais de uma ocasião a reportagens locais que passou a ir até Balsas em 1984 para vender refrigerante, mas viu a demanda aumentar para outros produtos. Em dois anos, já abria uma pequena mercearia na cidade.

"Acredito que cheguei no lugar certo, na hora certa", disse o empresário a um programa de TV local. "Nessa época, fazia várias viagens para Goiânia e São Paulo em busca de hortifruti".

O modesto comércio evoluiu para um grande supermercado na esteira da economia de Balsas - considerada um "novo Eldorado" nos anos 1990.

Hoje, segundo a Abras (Associação Brasileira de Supermercados), o Grupo Mateus é a quarta maior empresa do varejo alimentar no Brasil.

Tudo indica que a abertura de capital da empresa deve dar um outro impulso à fortuna de Ilson, já que ele e os outros acionistas controladores vão embolsar parte do dinheiro levantado.

Hoje, a fortuna de Ilson Mateus chega a R$ 20 bilhões, segundo o levantamento da Forbes.

O peso da jabuticaba

A presença de Luciano Hang entre os 10 mais ricos, com um patrimônio de R$ 18,7 bilhões, chama a atenção em um primeiro momento porque, em tese, a empresa dele não estaria entre as mais beneficiadas pela pandemia.

A Havan não tem uma forte operação online e nem tem como destaque a venda de alimentos. No entanto, a companhia do bilionário passa por um bom momento e está prestes a abrir capital na bolsa.

Entre potenciais investidores, a empresa é apresentada como uma "jabuticaba", segundo reportagem do Valor Econômico - uma varejista com 150 megalojas que vende 250 mil itens dos mais diversos tipos.

Luciano Hang também embolsaria parte do dinheiro do IPO da Havan. Ele fundou a empresa há 34 anos - embora últimos anos tenha ocupado os holofotes pela atuação política: contra o PT e a favor do hoje presidente Jair Bolsonaro.

O bilionário é, inclusive, alvo do inquérito das fake news por vínculo com ações de disseminação de notícias falsas e ameaças a ministros do Supremo. A investigação corre em sigilo.

Em junho, a Receita Federal apontou a sonegação de contribuição previdenciária por parte da Havan. Em valores corrigidos, o crédito tributário cobrado alcançava R$ 2,4 milhões.

Na época, a empresa respondeu a reportagem por meio do departamento jurídico, disse que “a denúncia é velha” e “sequer foi aceita, por inépcia”.

Os 10 mais ricos

A lista dos 10 mais ricos da Forbes ainda teve uma mudança significativa neste ano: o bilionário Joseph Safra desbancou Jorge Paulo Lemann do topo. Veja o ranking, setor de atuação de cada empresário e o patrimônio.

  1. Joseph Safra (setor financeiro) - Patrimônio: R$ 119 bilhões
  2. Jorge Paulo Lemann (Bebidas e investimentos) - Patrimônio: R$ 91 bilhões
  3. Eduardo Saverin (Investimentos/Internet) - Patrimônio: R$ 68 bilhões
  4. Marcel Telles (Bebidas e investimentos) - Patrimônio: R$ 54 bilhões
  5. Carlos Alberto Sicupira e família (Bebidas e investimentos) - Patrimônio: R$ 42,6 bilhões
  6. Alexandre Behring (Investimentos) - Patrimônio: R$ 34,3 bilhões
  7. André Esteves (Setor financeiro) - Patrimônio: R$ 24,9 bilhões
  8. Luiza Trajano (Varejo) - Patrimônio: R$ 24 bilhões
  9. Ilson Mateus (Varejo) - Patrimônio: R$ 20 bilhões
  10. Luciano Hang (Varejo) - Patrimônio: R$ 18,7 bilhões
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

2020 é o novo ‘ano dos IPOs’?

Se um viajante do tempo contasse à Julia de março ou abril que, bem antes do fim do ano, as bolsas americanas já teriam se recuperado e ultrapassado os patamares anteriores à crise, o Ibovespa já teria retornado ao patamar dos 100 mil pontos e que 2020 seria um grande ano de aberturas de capital […]

no zero a zero

Ibovespa zera ganhos no fim com queda em NY em meio à incerteza sobre estímulos

Dólar também encerra dia no zero a zero, demonstrando cautela dos investidores sobre pacote de ajuda à economia dos Estados Unidos, e juros futuros sobem com temor fiscal. Após pregão, saiu a notícia de que autoridades americanas estão mais próximas de um acordo

Dia de euforia

Bitcoin quebra recorde em reais e supera a marca dos R$ 70 mil

A moeda também rompeu a máxima do ano em dólar, cotada a mais de US$ 12 mil

Recorde

Arrecadação tem melhor resultado mensal em 6 anos

O resultado representa um aumento real (descontada a inflação) de 1,97% na comparação com o mesmo mês de 2019

Expandindo horizontes

Todo player olha privatização dos Correios com interesse, diz presidente do Magazine Luiza

Frederico Trajano disse que todas as aquisições recentes da companhia fazem parte de uma estratégia de ecossistema do grupo.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies