Menu
2019-12-03T16:51:17-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).

Itaú BBA espera que privatizações atinjam R$ 100 bilhões em média por ano até 2022

3 de dezembro de 2019
16:27 - atualizado às 16:51
itaú bba
Sede do Itaú BBA na Avenida Faria Lima, em São Paulo -

As privatizações e vendas de participações em empresas estatais pelo governo devem atingir R$ 100 bilhões por ano em média até 2022. A estimativa é do Itaú BBA, unidade de atacado do maior banco privado brasileiro.

O programa de venda de ativos pelo governo e a perspectiva de crescimento maior da economia no ano que vem devem ajudar a atrair o investidor estrangeiro, segundo Caio David, presidente do Itaú BBA, que reuniu a imprensa para um encontro na sede do banco hoje.

Havia uma expectativa de que o capital externo voltasse com mais força ao país após a aprovação da reforma da Previdência, mas isso ainda não aconteceu.

Para João de Biase, diretor-executivo do Itaú BBA, o investidor de fora do país tem participado de operações no mercado local, mas de forma mais seletiva e em negócios de maior porte.

“A maior operação do ano, que foi a venda da TAG [Transportadora Associada de Gás] pela Petrobras, foi para estrangeiros, o grupo franco-belga Engie e o fundo canadense CDPQ”, afirmou.

Mais ofertas

O Itaú BBA espera mais um grande ano para as ofertas de ações e renda fixa no mercado de capitais em 2020. As emissões títulos de dívida, como debêntures, devem crescer entre 10% e 15% em relação a este ano, apesar dos problemas vividos recentemente por esse mercado. Em 2019, o volume de operações debêntures e outros títulos aos investidores deve alcançar os R$ 140 bilhões.

As ofertas de ações devem apresentar uma expansão ainda maior, de até 20% no ano que vem, segundo o banco. Aqui tivemos duas realidades bem distintas. Enquanto as emissões de empresas já listadas na B3 tiveram forte crescimento, as ofertas públicas iniciais (IPO, na sigla em inglês) apresentaram mais um ano abaixo do esperado, com apenas cinco operações.

“A proporção de IPOs vai ser maior em 2020”, afirmou De Biase, que vê hoje um número maior de empresas preparadas para abrir o capital.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

PROJETO DE APOSENTADORIA

Você pode criar sua própria previdência com apenas três ativos na carteira

Claro que existem bons planos de previdência privada, mas para encontrá-los você precisa deixar o bando e alçar vôo solo.

IR 2020

Caiu na malha fina? Veja como regularizar a situação

Saiba como regularizar a sua situação junto a Receita Federal caso a sua declaração apresente informações inconsistentes e caia na malha fina do imposto de renda

Flexibilização

Prefeitura de São Paulo assina protocolo para reabrir bares e salões de beleza

A cidade está na terceira etapa do plano de flexibilização da quarentena do governo estadual, chamada de fase amarela. Com os termos firmados, os estabelecimentos poderão voltar a funcionar na segunda-feira

Recuperação

Fundos imobiliários de tijolo subiram 6% em junho; FII de shoppings ainda caem 21% no ano

Fundos imobiliários de papel, por sua vez, valorizaram, em média, só 3% no mês passado, segundo indicadores calculados pelo Banco Inter

BNDES prorroga linha de crédito para pequena e média empresa, com mais R$ 5 bilhões

Linha para capital de giro será prorrogada até 31 de dezembro, com orçamento ampliado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements