Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-09-11T19:12:10-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Aqui jaz a CPMF (e o secretário da Receita)

11 de setembro de 2019
19:12
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Pouca gente se lembra, mas o agora ex-secretário da Receita Federal Marcos Cintra já foi atração no horário eleitoral gratuito. Em campanha para deputado federal em 2002, ele apareceu na TV ao lado de um leão para defender o projeto do imposto único.

Pois Cintra teve a grande chance de colocar a antiga bandeira em prática ao entrar para a equipe econômica do governo Bolsonaro. E para alguém com tanta experiência no mundo político, chega a ser estranha a forma como ele se queimou perante o chefe.

No ano passado, Cintra quase foi exonerado do cargo antes mesmo de assumir ao defender a recriação da CPMF no dia em que foi anunciado para a equipe de transição do governo.

O assunto hibernou, mas voltou com força com as discussões em torno da reforma tributária. Como você leu ontem aqui na newsletter, o novo imposto nos moldes da CPMF já tinha até nome (Contribuição sobre Pagamentos) e alíquotas (0,2% e 0,4%).

Cintra não era o único defensor da volta do imposto, que também contava com a simpatia do ministro Paulo Guedes. Até o próprio Bolsonaro, que sempre foi um opositor ferrenho da medida, já parecia convencido a pelo menos ouvir o teor do projeto.

Não sei o que mudou na cabeça do presidente, mas ele não só voltou atrás na discussão sobre a recriação da CPMF como decidiu cortar a ideia pela raiz, ou melhor, pela cabeça do secretário da Receita.

A equipe de Paulo Guedes deve agora voltar à prancheta em busca de uma proposta de reforma que simplifique o sistema de impostos ao mesmo tempo em que alivie a situação de penúria das contas do governo.

Quem acompanhou bem de perto o clima esquentar em Brasília foi o Eduardo Campos, que traz os principais capítulos da saga da (des)construção da nova CPMF.

A conta dos que não foram

Goste ou não da CPMF, o fato é que o imposto é altamente eficiente do ponto de vista de arrecadação. Se estivesse em vigor no ano passado, apenas a alíquota de 0,2% prevista sobre as transações com cartões poderia render R$ 310 bilhões aos cofres do governo. Como as operações no crédito e no débito aumentaram fortemente neste ano, a conta do imposto natimorto seria ainda mais gorda, como você confere nesta matéria.

Rebote no varejo

Depois da bola fora ontem com a ameaça do avanço da Amazon no Brasil, as ações das varejistas voltaram a ser as protagonistas da bolsa. Os dados do desempenho das vendas no comércio divulgados pelo IBGE ajudaram os papéis do setor a dar rebote hoje. A tranquilidade no cenário internacional também ajudou o Ibovespa a fechar no positivo. Como você já sabe, quem acompanhou e traz todas as notícias sobre os mercados, das empresas ao panorama político, é o Victor Aguiar.

O marco da esperança

Em recuperação judicial desde 2016, a Oi quase que respira por aparelhos. Mas a empresa pode levar um choque, no bom sentido, em breve - e graças a Brasília. O projeto que atualiza o marco legal das telecomunicações passou pela comissão do Senado e pode ser aprovado em plenário ainda hoje. A medida tem tudo para dar um fôlego à operadora de telefonia que já foi apontada como uma das "campeãs nacionais".

Tech é pop?

Volta e meia elas são pauta aqui no Seu Dinheiro, e não podia ser diferente. As empresas de tecnologia têm conquistado os investidores com seu estilo único e modelo de negócios que vem mudando a forma como compramos produtos e serviços. A grande dúvida é: essas companhias são tão boas para os investidores como são para seus clientes? Pensando nisso, o nosso colunista Felipe Miranda mergulhou no mundo das techs e traz a visão dele sobre esses admiráveis negócios novos.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

*Colaboração de Fernando Pivetti.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Recuperação da estatal

Lucro da Petrobras salta 55,7% em 2019 e chega a R$ 40,1 bilhões, impulsionado pela venda de ativos

A Petrobras fechou 2019 com o maior lucro líquido anual de sua história, sustentada pelos fortes desinvestimentos e ganhos de eficiência na extração de petróleo — fatores que compensaram os menores preços da commodity no exterior

De olho no balanço

Marfrig reverte prejuízo e registra lucro líquido de R$ 27 milhões no 4º trimestre de 2019

No acumulado do ano, o lucro líquido caiu para R$ 218 milhões, ante R$ 1,4 bilhão no ano anterior

Confira os números

Petrobras, Ultrapar, Marfrig, RaiaDrogasil e GPA: os balanços que vão mexer com a bolsa nesta quinta-feira

O dia começa recheado de balanços anuais das companhias listadas no Ibovespa

Recurso da estatal

TRF-4 nega recurso da Petrobras e mantém Odebrecht fora de ação da Lava Jato

No recurso, a estatal buscava o prosseguimento dos réus na ação cível e a manutenção do bloqueio de bens dos executivos

Seu Dinheiro na sua noite

Guedes fora, alta do dólar

Você se lembra de quando o dólar a R$ 4,20 era o grande “patamar psicológico” da moeda americana? Não faz tanto tempo assim, mas esse nível de cotação ficou para trás, e agora parece até um pouco distante. Hoje, o dólar à vista bateu um novo recorde de fechamento. Eu sei que você já leu […]

Mais um recorde: dólar à vista sobe a R$ 4,36 e renova a máxima nominal de fechamento

O dólar à vista subiu mais um degrau nesta quarta-feira (19): pela primeira vez, terminou uma sessão acima dos R$ 4,36, cravando um novo recorde nominal. É a oitava vez em 2020 que a moeda renova as máximas de fechamento

Ainda na liderança

Vitor Hugo crê que permanece como líder do governo; Terra diz não receber convite

O deputado disse que não recebeu sinalizações do presidente Jair Bolsonaro de que poderá ser substituído pelo ex-ministro Osmar Terra

O impasse continua

Após TRT suspender demissões, Petrobras quer negociar desligamentos em fábrica

Encerramento da operação da Ansa é o principal motivo da greve dos petroleiros

Ponto polêmico

Relator mantém trabalho aos domingos na MP do contrato verde e amarelo

Deputado Áureo manteve a permissão para que todos os trabalhadores sejam convocados para trabalhar aos domingos e feriados

Novidade no IR

Programa do IR virá sem dedução da contribuição patronal sobre domésticos

Fim da dedução é a principal novidade para as declarações de IR em 2020

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu