2019-04-01T14:24:33-03:00
Para Oxford Economics

Com agenda reformista e melhora no déficit fiscal, Brasil pode ter upgrade de rating

Segundo relatório, país tem grandes chances de conquistar os holofotes mundiais e assumir o papel de protagonista na América Latina

15 de janeiro de 2019
10:04 - atualizado às 14:24
Presidente Jair Bolsonaro - Imagem: Bobby Fabisak/Estadão Conteúdo

Os investidores da bolsa não são os únicos que andam animados com os rumos da economia brasileira. A Oxford Economics, uma das empresas líderes de análises econômicas e de conjunturas do mundo, também está positiva sobre o futuro do país, principalmente com a expectativa de que a nova equipe econômica consiga de fato melhorar o rombo fiscal.

Segundo um relatório divulgado nesta terça-feira, 15, pelos analistas da Oxford, o país tem grandes chances de conquistar os holofotes mundiais e assumir uma posição privilegiada na América Latina. O Brasil tomaria o atual posto do Chile, que vem perdendo seu protagonismo de lugar "seguro" da região após empresas e credores acumularem elevados índices de dívida.

O relatório também avalia que, caso o presidente Jair Bolsonaro priorize uma agenda de reforma fiscal, como a aprovação da reforma da Previdência, a tendência é que o Brasil passe por uma elevação de seu rating.

Um longo caminho

Vale lembrar que o rating do Brasil está uns bons degraus abaixo do famoso "grau de investimento". Desde que perdeu seu selo de bom pagador de suas dívidas - em 2015 na Standard&Poor's e na Fitch e em 2016 na Moody's - o país não consegue entrar em um processo de recuperação dessas notas e inclusive amargou novas quedas nos últimos anos.

Na Moody's, por exemplo, a nota atual do país é Ba2, com perspectiva estável, dois patamares abaixo do grau de investimento, que é Baa3. Já na Standard&Poor's e na Fitch, a situação é ainda mais complicada: o Brasil está com nota BB- em ambas agências de classificação de risco, três níveis abaixo da nota mínima para o grau de investimento, que é a BBB-.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa na onda das commodities, short de Nubank e o fim das ações das Lojas Americanas: veja as principais notícias do dia

Entre importar o otimismo ou o pessimismo do exterior, a bolsa brasileira tem preferido a primeira opção, nos últimos dias. Em mais um dia negativo para as bolsas americanas, o Ibovespa novamente nadou contra a maré vermelha e fechou em alta, impulsionado pelo avanço dos preços das commodities – sobretudo do minério de ferro. Com […]

Fechamento Hoje

Ibovespa novamente contraria exterior, sobe mais de 1% e fecha acima dos 108 mil pontos; dólar cai abaixo de R$ 5,50

Mesmo com dia negativo em Nova York, Ibovespa é impulsionado pelas commodities; varejistas e techs se recuperam com alívio nos juros futuros

CRYPTO NEWS

Cada vez mais países devem formar reservas de bitcoin ao longo de 2022; entenda como você pode aproveitar

Você provavelmente já viu uma imagem similar a esta abaixo. Ela mostra o conceito da curva de adoção, em S, de uma nova tecnologia ou produto. A curva em formato de sino é um reflexo da curva em S, mostrando o tamanho, ao longo do tempo, dos públicos que aderem a tal inovação. Malcolm Gladwell […]

NOVAS BAIXAS

Dois secretários e um diretor do Ministério da Economia pedem demissão do cargo; saiba quem são os substitutos

Um dos secretários vai para a Funpresp-Exe e o outro, para o Legislativo. Receita Federal diz que saída de seu diretor ocorreu a pedido do servidor

CONCESSÃO RECORDE

Caixa bate recorde em 2021 ao conceder R$ 140,6 bi em crédito habitacional e diz não esperar mais altas nos juros no financiamento imobiliário; entenda

O executivo afirmou que a Caixa segue os juros futuros com vencimento em oito anos para definir as taxas