2019-05-15T07:41:03-03:00
Estadão Conteúdo
Compromisso presidencial

Marco Feliciano: ato normativo vai simplificar impostos cobrados de igrejas

Reunião foi agendada com o presidente Jair Bolsonaro logo após Cintra ter dito em entrevista que um novo tributo federal poderia ser cobrado de igrejas evangélicas

15 de maio de 2019
7:41
Marco Feliciano
Marco Feliciano - Imagem: Jose Cruz/ABr

O deputado Marco Feliciano (Podemos-SP) afirmou nesta terça-feira, 14, que o governo pretende editar, nos próximos dias, um ato normativo para simplificar taxas e tipos de tributos cobrados de igrejas no País. Ele se reuniu nesta noite com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, além de dez pastores evangélicos das principais correntes do país.

"O que foi dito por Paulo Guedes e Marcos Cintra é que tentarão simplificar o máximo possível, porque no nosso País as igrejas têm uma cobrança infinitamente maior do que, inclusive, empresas. Nos próximos dias deverá ter um ato normativo para consertar algumas coisas que estão fora do eixo", disse.

De acordo com Feliciano, a reunião foi agendada com o presidente logo após Cintra ter dito, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo no fim do mês passado, que um novo tributo federal poderia ser cobrado de igrejas evangélicas. A reação da bancada no Congresso foi imediata.

Segundo Feliciano, Cintra afirmou no encontro que foi mal interpretado. "O presidente assumiu desde a campanha eleitoral que não criaria nenhum tipo de imposto a mais. Essa reunião foi só para confortar todos os pastores de que não haverá nenhum tipo de tributação sobre as igrejas, até porque a imunidade da igreja é garantida pela Constituição Federal", afirmou o deputado.

De acordo com ele, os governos anteriores criaram dispositivos que acabaram funcionando como tributos para as igrejas. "O peso sobre as igrejas é muito forte, o ministro reconheceu isso. São mais de 30 tipos de impostos que as igrejas pagam que não deveriam pagar e acabam pagando", disse. "Entendemos que tudo o que foi criado foi para que o Estado tivesse interferência na vida pública, quando o próprio Estado bate no peito dizendo que ele é laico. Ele é laico, mas não é antirreligioso", completou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Feliciano disse ainda que Guedes pediu apoio da bancada evangélica para a aprovação da reforma da Previdência e deixou "subentendido" que, em breve, a reforma tributária ganhará força.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

QUEDA DAS COMMODITIES

Dieta dos carboidratos: XP inicia cobertura de Camil (CAML3) e M. Dias Branco (MDIA3) — saiba qual a preferida

Com a baixa nos preços das commodities, a XP inicia a cobertura de empresas no segmento de carboidratos; com recomendação diferentes para Camil e M. Dias Branco

CAOS EM CRIPTO

Coreia do Norte está por trás do ataque que roubou US$ 100 milhões da ponte do ethereum (ETH)? Entenda

Após o Lazarus ser considerado responsável pelo maior golpe hacker da história das criptomoedas na rede do Axie Infinity, empresas acusam o país asiático de ter financiado o ataque na plataforma Horizon

EXILE ON WALL STREET

O preferido nas eleições: Confira três dicas para se garantir na briga pela última vaga do G4

Por aqui, a Terceira Via perdeu o timing da candidatura, de modo que nos resta apenas mais do mesmo, seja com Lula ou com Bolsonaro

PENSANDO NO FUTURO

Plano de expansão? Entenda por que a Via (VIIA3) quer levantar até R$ 600 milhões com emissão de debêntures

Com o dinheiro, a Via (VIIA3) prevê pagar despesas relacionadas à abertura de novas lojas da rede, incluindo reformas e compra de imóveis

UNINDO FORÇAS

Fleury (FLRY3) compra Hermes Pardini (PARD3) e cria gigante no setor de saúde; veja os detalhes

Juntos, Fleury (FLRY3) e Hermes Pardini (PARD3) têm 487 unidades de atendimento e 24 áreas técnicas em 12 Estados e o Distrito Federal