2019-04-04T14:43:35-03:00
Estadão Conteúdo
Após recorde em 2017

Fundos têm captação líquida de R$ 84,7 bilhões em 2018, queda de 68%

Multimercados, Ações e Previdência puxaram o desempenho positivo ao registrarem, juntos, uma captação líquida de R$ 94,9 bilhões

8 de janeiro de 2019
16:13 - atualizado às 14:43
Troca de dinheiro
Fundos multimercados são destaque de captação em 2018Imagem: Shutterstock

Os fundos de investimento registraram uma captação líquida de R$ 84,7 bilhões em 2018, uma queda de 68% em relação ao saldo igualmente positivo de 2017, ano de recorde histórico. A informação foi divulgada nesta terça-feira, 8, pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Três classes de fundos foram responsáveis pelo saldo positivo: Multimercados, Ações e Previdência registraram juntos uma captação líquida de R$ 94,9 bilhões. Desse total, quase metade ficou concentrada nos Multimercados (R$ 42,9 bilhões). É o segundo ano consecutivo que essa classe bate recorde em captação. Em meio aos baixos rendimentos médios da renda fixa, os fundos da classe respectiva registraram uma saída líquida de R$ 12,3 bilhões.

Segundo comunicado da Anbima, o "resultado reforça o movimento dos investidores de maior disposição ao risco" em busca de retornos melhores "diante da perspectiva de manutenção da taxa Selic no menor patamar da história". As maiores rentabilidades médias vieram da classe ações, em que 11 dos 12 tipos de fundos geraram mais de 10% de retorno no ano passado. Entre os multimercados, o tipo Long and Short Direcional registrou a maior rentabilidade média (14,4%) da classe no ano.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

NOVOS NEGÓCIOS

Google está de olho nas criptomoedas e vai criar unidade de negócio dedicada ao blockchain; entenda o que está por trás da decisão

Antes de se aventurar, gigante de tecnologia assistiu com cautela as movimentações das concorrentes para entrar no mercado de criptomoedas

MELHORA ARTIFICIAL

Pedidos de recuperação judicial caem em 2021 ao menor nível desde 2014

Para os especialistas os números do ano passado não representam uma recuperação econômica, mas uma melhora artificial no ambiente de negócios promovida por políticas públicas pontuais

APOSTA NA SIDERURGIA

A vez da Usiminas: BTG estima alta de mais de 55% para USIM5 nos próximos meses; saiba o que pode impulsionar as ações

Segundo os analistas, a empresa negocia nos múltiplos mais baixos da década e deve surfar na recuperação dos preços do aço

pessimismo nos mercados

Por que a ameaça de conflito entre Rússia e Ucrânia derruba as bolsas mundo afora?

Escalada de tensões entre os dois países levou EUA e Reino Unido a retirarem funcionários de embaixadas na Ucrânia; veja como uma eventual invasão russa ao país pode afetar os mercados