Menu
2019-04-05T15:39:45-03:00
Estadão Conteúdo
Abaixo da inflação do período

Preço médio dos imóveis residenciais sobe 0,08% em fevereiro, aponta Fipe

Preços mostraram alta de 0,21% no acumulado dos primeiros dois meses do ano, enquanto o avanço foi de 0,07% nos últimos doze meses

7 de março de 2019
8:33 - atualizado às 15:39
Imóveis
Imagem: Shutterstock

Após subir 0,13% em janeiro, o preço nominal médio dos imóveis residenciais teve uma desaceleração em fevereiro e fechou o mês com alta de 0,08%, de acordo com pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). O resultado aponta para uma queda real no preço dos imóveis, considerando que a inflação esperada para fevereiro é de 0,35%, segundo o Boletim Focus, do Banco Central.

No acumulado dos primeiros dois meses do ano, os preços mostraram alta de 0,21%, enquanto nos últimos 12 meses, o avanço foi de 0,07%, também ficando abaixo da inflação no período.

O levantamento é feito com base nos anúncios de imóveis em 50 cidades, das quais 16 são capitais. Em fevereiro, nove das 16 capitais pesquisadas tiveram alta nos preços: Salvador (0,02%), Rio de Janeiro (0,08%), Fortaleza (0,24%), São Paulo (0,27%), Vitória (0,39%), Brasília (0,56%), Manaus (0,84%), Goiânia (0,94%) e Florianópolis (1,00%).

Já as outras sete capitais tiveram recuo nos preços: Maceió (-0,03%), Campo Grande (-0,12%), Recife (-0,13%), Porto Alegre (-0,19%), Belo Horizonte (-0,43%), Curitiba (-1,59%) e João Pessoa (-2,30%).

O preço médio do metro quadrado (m2) anunciado foi de R$ 7.189. O município do Rio de Janeiro se manteve como a capital com o preço mais elevado (R$ 9.481/m2), seguida por São Paulo (R$ 8.862/m2) e Brasília (R$ 7.367/m2).

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Fechamento da semana

Inflação americana e minério de ferro vivem ‘dias de luta e dias de glória’, monopolizando a semana; dólar avança e bolsa recua no período

O minério de ferro puxou Vale e siderúrgicas para cima – mas depois derrubou. A inflação americana também assustou, mas conseguiu acalmar o ânimo dos investidores. Confira tudo o que movimentou a semana

Engordando o caixa

Petrobras gera US$ 2,5 bilhões com desinvestimentos em 2021; venda mais recente é para fundo árabe

E a estatal não deve parar por aí, pois o diretor financeiro da empresa já reafirmou a intenção de continuar com o programa de venda de ativos

Em evento do BofA

Presidente do BC revela preocupação com análise de autonomia no STF e planos para PIX internacional

Campos Neto e o ministro da Economia, Paulo Guedes, têm conversado com ministros da Corte sobre os questionamento acerca do tema

Confiança em alta

Casa Branca não vê fator gerador de inflação que Fed não possa controlar

A presidente do Conselho de Consultores Econômicos do governo ressaltou que é importante focar nas tendências para os índices ao invés de oscilações semanais ou mensais

Política monetária em detalhes

Diretor do BC afirma que Selic em 2% não era mais necessária e defende centro da meta inflacionária

Bruno Serra explicou que a retomada da atividade econômica foi mais rápida do que se imaginava e justificou a elevação da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies