Menu
2019-08-08T12:56:56-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Jogo perigoso

Trump faz mais um aceno rumo à guerra cambial

Presidente americano, Donald Trump, volta a atacar o Fed afirmando que juro alto fortalece o dólar, prejudicando as empresas americanas

8 de agosto de 2019
12:56
O presidente dos EUA Donald Trump
O presidente americano Donald Trump - Imagem: Shutterstock

Dia sim e outro também, o presidente americano Donald Trump despeja impropérios sobre a política do Federal Reserve (Fed), banco central americano. Trump não se conforma com a decisão e aceno do Fed de que o momento não pede uma redução agressiva da taxa de juros, atualmente fixada entre 2% e 2,25% ao ano.

Trump tem feito um jogo perigoso e potencialmente destrutivo envolvendo o Fed e os chineses e cada nova declaração parece embutir a disposição do presidente americano de partir da guerra comercial para uma guerra cambial.

Sendo coloquial, Trump está pressionando o Fed a atuar e deixa a entender que se não for atendido, vai ligar para o Tesouro americano e pedir por intervenção cambial para baixar o valor do dólar.

A grande questão é que não se sabe como isso poderá ser feito. Vai vender dólar contra qual moeda? Outros governos vão atuar em conjunto? Qual seria a resposta dos chineses, europeus e japoneses?

Acenos

Essa percepção decorre de alguns eventos recentes. Primeiro da decisão do Tesouro americano de classificar a China como “manipulador de moeda”, pela primeira vez desde 1994. O efeito prático imediato não é grande, mas há um aceno político forte. Como um alerta, que veio justamente no dia que o BC da China deixou o yuan passar da linha dos 7 dólares, causando forte instabilidade nos mercados globais na segunda-feira.

Ontem, Trump criticou o Fed novamente e falou “que vamos ganhar de qualquer forma”, mas seria mais fácil se o Fed entendesse que os EUA “estão competindo” com outros países e que todos querem se dar bem às custas dos americanos.

Nesta quinta-feira, ele foi mais explícito ainda ao falar que o juro praticado pelo Fed, em comparação com outros países, “está mantendo o dólar alto”, tornando mais difícil a competição das empresas americanas.

“Temos as maiores e melhores empresas do mundo, ninguém chega nem perto, mas infelizmente o mesmo não pode ser dito do nosso Fed. Eles têm errado todos os passos e nós ainda estamos ganhado. Você consegue imaginar o que aconteceria se eles realmente acertassem o passo?”, escreveu.

Olhando o comportamento das bolsas hoje, parece não ter risco nesse jogo de Trump. Mas guerras cambiais são marcadas por rápida escala, com países cortando juros ou intervindo em taxas de forma repetitiva. Cenário pouco salutar em um ambiente no qual se consolidam expectativas de menor crescimento mundial.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Estreia inspirada

Ações da Priner disparam 36% em estreia na B3

Empresa levantou R$ 200 milhões em oferta inicial de ações na sexta-feira, 14

Lançamento

Marfrig lança hambúrguer vegetal na rede Chicohamburger

Produto será vendido com o nome de Revolution Burger CH; hambúrguer vegetal da Marfrig já tinha sido novidade do cardápio do Burger King em 2019

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Mercados agora

Ibovespa sobe aos 115 mil pontos, atento aos sinais positivos da China; dólar avança a R$ 4,31

O Ibovespa abriu a semana em leve alta, pegando carona no bom humor externo com as medidas de estímulo adotadas pelo governo da China. Carrefour Brasil ON e Magazine Luiza ON estão entre os maiores avanços do índice

Exile on Wall Street

Você quer eliminar as perdas de seu portfólio?

Se você não está cometendo equívocos, é porque não está no seu limite, não está tentando o máximo que pode

maior desvalorização em 45 dias...

Fundos imobiliários perderam este ano R$ 3,28 milhões em valor de mercado

No total, a cesta que congrega os 131 fundos mais negociados do mercado, o Ifix, encolheu 5,15% em 2020 – em fevereiro, apesar da melhora dos últimos dias, a queda é de quase 1%

após IBC-Br

Mercado reduz projeção para alta do PIB em 2020

A atualização do número é apresentada após o próprio BC divulgar que o IBC-Br em 2019 avançou 0,89%, abaixo da previsão de analistas

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

11 notícias para começar o dia bem informado

A semana pré-carnaval promete ser intensa, com uma bateria de balanços corporativos. O dia começa com novidades vindas da Ásia sobre o coronavírus e o PIB do Japão. O Seu Dinheiro também traz um “check-up” das empresas de saúde, um segmento que ganhou relevância na bolsa nos últimos anos e que tem ações “queridinhas” dos […]

de olho no balanço

Lucro do Magazine Luiza cresce 54% e chega a R$ 921 milhões em 2019

Varejista divulgou as cifras do ano com os resultados do quarto trimestre de 2019. Entre os destaques dos últimos três meses, está novamente o e-commerce

Esquenta dos mercados

Atuação do BC chinês e agenda corporativa cheia dão força extra aos negócios

Os novos cortes nos juros pelo Banco Central chinês ajuda o mercado a balancear a notícia da queda do PIB japonês. As bolsas americanas ficam fechadas por conta de feriado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements