Menu
2019-12-13T19:17:03-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Ação sobe forte

Investidor vê descoberta de fraude contábil na Via Varejo como parte da “faxina” da nova gestão

Apesar do prejuízo que pode chegar a R$ 1,4 bilhão no balanço do quarto trimestre, as ações da companhia (VVAR3) registram forte alta hoje na bolsa

13 de dezembro de 2019
17:02 - atualizado às 19:17
Via Varejo
Via Varejo - Imagem: Divulgação

Para quem acompanha a Via Varejo, a confirmação da descoberta de uma fraude contábil bilionária é apenas parte da "faxina" que está sendo feita pela nova gestão da dona das redes Casas Bahia e Ponto Frio.

Apesar do prejuízo que pode chegar a R$ 1,4 bilhão no balanço do quarto trimestre, as ações da companhia (VVAR3) fecharam hoje em alta de 8,70%, cotadas em R$ 10,87. No ano, as ações da Via Varejo apresentam alta de 147,61%.

A fraude contábil envolve um problema da gestão passada e que não tem nada a ver com as melhorias da administração atual, segundo Luiz Paulo Aranha, sócio-gestor da Moat Capital, que tem posição nos papéis da Via Varejo.

"Na nossa visão, o peso de que o varejo deve crescer atrelado à melhora econômica e aos saques do FGTS é maior do que uma notícia referente à gestão passada. O mercado está colocando no preço a confiança no novo management", destacou Luiz Paulo Aranha.

Efeito menor do que o esperado

Outro que vai na mesma linha é Pedro Fagundes, analista de varejo de XP Investimentos. Em relatório, ele afirmou que, apesar de negativa, a notícia não altera os fundamentos da companhia para os próximos anos. E muito menos impacta qualquer um dos pilares da visão construtiva que o analista possui para ela.

A Via Varejo informou que o efeito caixa da descoberta da fraude é negativo em cerca de R$ 900 milhões, que deve ser desembolsado entre os próximos três a quatro anos. Mas o analista considera que esse número parece exagerado.

O valor desconsidera os ganhos de R$ 600 milhões relacionados a créditos fiscais e eventuais benefícios de recuperação de impostos (estimados em cerca de de R$ 270 milhões), segundo o analista da XP.

"O efeito combinado de ambos tem o potencial de anular quase a totalidade do efeito negativo do caixa", destaca.

Ele ainda afirma que o potencial risco de volatilidade no preço das ações relacionados a eventuais irregularidades da gestão anterior é amplamente conhecido.

"O argumento de que a ação deveria ter um desempenho negativo além dos ~9% em função do aumento do prêmio de risco é justo", pondera Fagundes.

Por conta disso, o analista se mantém otimista com o papel e reitera a compra de Via Varejo (VVAR3), com o preço-alvo em 12 meses de R$ 12. Vale lembrar que a gestora de fundos da XP também tem uma posição grande na varejista.

Fraude contábil

Depois de ter recebido denúncias anônimas sobre supostas irregularidades contábeis, a Via Varejo divulgou ontem (12) que encontrou fraude contábil, com impacto de até R$ 1,4 bilhão no resultado do quarto trimestre.

Segundo o documento, houve manipulação da provisão trabalhista da companhia e diferimento indevido na baixa de ativos e contabilização de passivos.

Em nota, a companhia acredita que os referidos ajustes gerarão um efeito caixa na Companhia no decorrer dos próximos três a quatro anos com impacto no patrimônio líquido da Companhia entre R$ 800 milhões e R$ 940 milhões.

A empresa ainda acrescentou que, adicionalmente, dentre as oportunidades identificadas, foram apurados créditos fiscais da ordem de R$ 600 milhões referentes a PIS/COFINS e ICMS, cujo reconhecimento está atualmente em validação com os auditores independentes da Companhia.

A Via Varejo disse ainda que os "ajustes descritos acima não vão impactar de maneira adversa e relevante seu fluxo de caixa, sua condição financeira e operacional ou sua capacidade de honrar compromissos".

Ontem após a divulgação da notícia, os papéis da empresa entraram em leilão e inverteram a tendência de alta vista até então. No fim do pregão, as ações da companhia terminaram com queda de 3,10%, cotadas em R$ 10,00.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

POLÍTICA

Em Davos, Doria se ‘afasta’ de Bolsonaro

Nesses 12 meses de intervalo, o clima entre os dois não apenas esfriou como houve troca de farpas tendo como pano de fundo o cenário político de 2022

EMPREGO

Em 1º ano, Bolsonaro gera mais vagas que Temer, mas fica atrás de Lula e Dilma

Com a economia ganhando tração a partir do segundo semestre do ano passado, o Caged registrou saldo positivo de 644.079 vagas com carteira assinada em 2019

COLUNA DO PAI RICO PAI POBRE

Ter um emprego versus empreender

Veja como avaliar se é melhor ter um próprio negócio, ser autônomo ou arrumar um emprego.

EMPREGOS

Para gerar 1 milhão de empregos, economia tem de crescer 3%, diz secretário

O secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, evitou nesta sexta-feira, 24, fazer uma previsão oficial para a geração de empregos com carteira assinada em 2020, mas disse acreditar em até 1 milhão de novos postos de trabalho neste ano, caso o Produto Interno Bruto (PIB) tenha uma alta próxima de 3% até […]

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O que será que será da Selic?

A taxa básica de juros (Selic) vai continuar em queda? Quando fiz essa pergunta recentemente a um gestor de fundos, ele me devolveu com outra pergunta: – Você quer que eu responda o que o Banco Central deveria fazer ou o que ele vai fazer? Pode parecer uma diferença sutil, mas o mercado encontra-se atualmente […]

Dólar teve alta

Tensão com o coronavírus freia os mercados e faz o Ibovespa ficar no zero a zero na semana

O coronavírus trouxe cautela aos mercados, mas não desencadeou uma onda de pessimismo. Como resultado, o Ibovespa ficou praticamente zerado na semana — a nova doença neutralizou o otimismo estrutural visto na bolsa nos últimos dias

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: Já pensou em conquistar sua independência financeira?

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

de olho na inflação

BC está confortável com inflação após choque de proteína, diz Campos Neto

“Há um gap de política monetária que a gente tenta comunicar. É importante, porque parte do que foi feito não está totalmente dissipado”, afirmou em seguida

MAIS ESCLARECIMENTOS

BNDES atual pôs R$ 15 milhões a mais em auditoria

O reajuste de 25% aconteceu por meio de um aditivo contratual, publicado no dia 25 de outubro de 2019, e aumentou de US$ 14 milhões para US$ 17,5 milhões o contrato da Cleary Gottlieb Steen & Hamilton, escritório contratado para realizar os serviços de auditoria

CONFIRMADA

Oi confirma venda de participação na angolana Unitel por R$ 1 bilhão

O montante corresponde a venda de 25% da participação que detém na angolana e engloba também os dividendos que a Oi tem o direito de receber, mas que estavam retidos até então

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements